Blog

5 dúvidas mais comuns sobre a Ressonância Magnética

A tecnologia e a medicina sempre evoluíram juntas para proporcionar melhor qualidade de vida e saúde às pessoas. No campo do diagnóstico por imagem, a ressonância magnética trouxe muitas melhorias no processo de análise médica.

Por meio da emissão de ondas de radiofrequência, sem radiação, a ressonância magnética permite estudar diversas partes do corpo humano com altíssima precisão.

Isso é possível graças a tecnologia do aparelho que combina a ação de um imã com os sinais de radiofrequência. A ressonância magnética proporcion alto nível de qualidade no diagnóstico de diversas doenças.

Por exemplo:

  • Tumores no cérebro;
  • Hérnia de disco;
  • Derrame;
  • AVC;
  • Esclerose múltipla;
  • Derrame em estágio inicial;
  • Fraturas ósseas;
  • Câncer de mama e outras enfermidades que acometem a saúde da mulher;
  • Lesões de menisco, ligamentos e cartilagem
  • Infecções em articulações,
  • Tumores;
  • Ligamentos rompidos.

Dessa forma, é possível realizar diagnósticos mais precisos e, consequentemente, tratamentos mais rápidos e eficazes. Um dos principais benefícios da ressonância magnética, além da precisão na análise dos tecidos, é o fato de que o procedimento não apresenta radiação. Como o raio-X e a tomografia, por exemplo.

Entretanto, apesar dos inúmeros benefícios e da prática já ser aplicada há muitos anos, algumas pessoas ainda possuem dúvidas sobre como funciona o exame de ressonância magnética. Confira, a seguir, as questões mais comuns sobre o assunto.

1 – Como se preparar para o exame?

A preparação antes de um exame é fundamental para que o procedimento aconteça com segurança e o resultado seja o melhor possível. No caso da ressonância magnética, os cuidados prévios são:

  • Não interrompa o uso de medicamentos regulares;
  • Use roupas leves e confortáveis (na hora do exame será preciso trocar para uma vestimenta própria do estabelecimento)
  • Não é permitido entrar na sala do exame com celular, chaves, moedas, jóias, aparelho auditivo, relógio, cartões magnéticos e demais objetos metálicos;
  • Estar em jejum se for realizar exames de abdôme ou pelve;
  • Trazer exames anteriores.

2 – Por que é preciso levar exames anteriores?

Os médicos solicitam que os pacientes tragam os exames anteriores para que seja feito um estudo comparativo. Dessa forma, elaborando um laudo mais completo e com informações mais detalhadas.

3 – A pessoa que faz o exame de ressonância magnética está exposta à radiação?

Não, pois a ressonância magnética não utiliza radiação e sim uma ação magnética combinada com ondas de radiofrequência. O procedimento é totalmente seguro e indolor.

4 – Quem usa aparelho ortodôntico pode fazer ressonância magnética?

Sim. Quem está passando por tratamento ortodôntico e, por isso, usa aparelhos fixos podem fazer o exame. Entretanto, se a ressonância magnética for realizada na região da cabeça ou pescoço, o médico avaliará se o aparelho causou alguma interferência no resultado.

5 – Por que utilizar contraste no exame?

O contraste é usado para melhorar os resultados de exames de imagem. Na ressonância magnética, é indicado o contraste gadolínio. Entretanto, é o médico radiologista que indicará quando o contraste precisa ser usado, considerando o tipo e o motivo do exame.

A sua dúvida não apareceu na lista? Então, acesse nosso site e saiba tudo sobre o exame de ressonância magnética!

Atenção! Alguns desses exames não são realizados pela CEDIP. Confira quais exames a Cedip realiza clicando aqui.