Causas e sintomas da Enxaqueca

A tão conhecida enxaqueca não é apenas uma dor de cabeça. Ela é uma doença genética neurológica e crônica, que atinge, mundialmente, pelo menos 1 em cada 7 adultos, de acordo com a OMS.

Sintomas 

Mesmo sabendo que a cefaleia (dor de cabeça) é o principal sintoma da enxaqueca, outros muito comuns são:
  • Sensibilidade à luz, cheiros e barulho;
  •  Náuseas e vômitos;
  •  Sintomas visuais;
  • Formigamento e dormências no corpo;
  • Tonturas;
  • Sensibilidade a movimentos ou passar mal em viagens de carro, ônibus, barco.
Todos esses sintomas ocorrem em diferentes áreas do cérebro, isoladamente ou em conjunto, em maior ou menor grau. Eles ocorrem devido a disfunções em vários neurotransmissores como a serotonina, dopamina, noradrenalina e glutamato. Essas substâncias têm um funcionamento diferente nas pessoas que apresentam a doença.

Causas

A causa pode ser resultado de vários fatores, alguns deles como:

  •  Distúrbios psicológicos/psiquiátricos: depressão, ansiedade, síndrome do pânico, transtornos do humor, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), entre outros.
 
  • Distúrbios do sono: insônia, sono não reparador, sonolência diurna, bruxismo, enurese noturna (quando as crianças urinam na cama durante o sono), sonambulismo.
 
  •  Déficits cognitivos: dificuldade de concentração e falta de memória.
 
  •  Tonturas de vários tipos: a grande maioria das pessoas saudáveis com menos de 60 anos que tem tonturas/vertigens em crises recorrentes, ou mesmo tontura contínua, não tem labirintite. A tontura faz parte do quadro da enxaqueca.
 
  • Doenças gastrointestinais: Síndrome do intestino irritável, intestino preso crônico, diarreias frequentes, dores abdominais recorrentes.
 
  •  Outras dores: dores cervicais (no pescoço), dor lombar, dores musculares, tendinites, fibromialgia.

Atualmente, já é de conhecimento público que a enxaqueca pode ser fator de risco para outras doenças. Pesquisas recentes comprovaram que pessoas com enxaqueca têm um maior risco de AVC e doenças cardiovasculares, principalmente quem tem enxaqueca com aura (sintomas que precedem a crise, como sensibilidade a luz e som, náuseas, entre outros). O risco aumenta caso seja associado ao tabagismo e ao uso de alguns anticoncepcionais femininos.

Caso sinta dores de cabeça recorrentes, procure um especialista e não deixe essa doença afetar sua qualidade de vida. 

Diagnóstico 

Ela é diagnosticada por meio de exame clínicos, mas pode ser que seu médico peça exames como tomografia computadorizada e ressonância magnética para identificar se existem outros fatores interferindo na dor de cabeça e confirmar a suspeita de enxaqueca. 

Cuide da sua saúde, não deixe para depois!

Fonte: Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), Sociedade Beneficente Israelita Brasileira.
Voltar