Check-up: quando, como e porquê fazer

No Brasil, ainda não há uma cultura muito forte de autocuidado e prevenção de doenças. Característica que, gradativamente, está mudando e as pessoas estão buscando mais realizar o check-up médico.

Campanhas especiais como o outubro rosa, que coloca em voga a importância da detecção precoce do câncer de mama, e o novembro azul, voltado ao diagnóstico antecipado do câncer de próstata, são exemplos de ações que estão mudando a forma da sociedade encarar as doenças.

Ou seja, em vez de combater a doença quando ela já está instalada, o objetivo é manter um estilo de vida saudável para evitar que essas patologias possam surgir e/ou fazer o diagnóstico precoce que aumenta consideravelmente a chance de cura.

Nesse aspecto, o check-up médico deve fazer parte da rotina de cuidados de todas as pessoas. Junto com a prática de exercícios físicos e cuidados com a alimentação, exames de rotina ajudam na melhora da qualidade de vida.

O que é?

O check-up é um procedimento usado para avaliar o estado de saúde de uma pessoa. Por meio dele, é identificado a probabilidade do surgimento de uma série de patologias. Trata-se, portanto, de uma série de exames de rotina que são solicitados pelo médico conforme perfil clínico de cada paciente.

Como Funciona?

O check-up é orientado por um médico clínico geral. O profissional fará uma análise detalhada, durante a consulta, na qual vai avaliar o histórico médico da pessoa, estilo de vida, entre outros fatores.

O clínico geral fará o encaminhamento do paciente para outro profissional especifico conforme as particularidades da pessoa. Além disso, alguns exames de rotina serão solicitados para embasar o diagnóstico médico.

Exames realizados no check-up:

  • urina;
  • sangue;
  • glicemia;
  • pressão arterial;
  • batimento cardíaco;
  • colesterol;
  • radiografia (se houver necessidade);
  • testes funcionais.

Por que fazer?

O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar a probabilidade de cura de diversas doenças, assim como reduzir a necessidade de procedimentos mais complexo e invasivos. Por isso, a importância de realizar o check-up de rotina respeitando o intervalo orientado pelo médico.

Além disso, a realização do check-up deixa a pessoa mais segura e tranquila sobre as próprias condições de saúde. Com base nos resultados dos exames, mesmo que negativo para as doenças, o médico fará orientações quanto ao estio de vida, hábitos alimentares, prática de atividades físicas e outras recomendações para manutenção da saúde.

Com que periodicidade?

A orientação geral é que todas as pessoas, a partir dos 30 anos de idade, façam o check-up uma vez por ano. A partir disso, o médico fará a indicação de quando os exames devem ser refeitos. Entretanto, pessoas com histórico familiar de doenças e/ou que não possuem hábitos de vida saudáveis devem procurar um médico para realizar exames de rotina antes dessa idade.

Para os homens, normalmente, os exames realizados são os de sangue (hemograma e dosagem dos níveis de colesterol total e frações, triglicerídeos, glicemia e insulina); pressão arterial; peso corporal, função pulmonar (principalmente para fumantes); hepatite B e C, teste de detecção de sífilis e pesquisa de anticorpos anti-HIV.

Já os homens com mais de 40 anos, se forem aconselhados por um médico, precisam realizar o exame de toque retal e o teste para verificar a reação antígeno prostático específico (PSA) no sangue e, dessa forma, monitorar a saúde da próstata.

O check-up da mulher é similar ao dos homens, com exceção de exames ginecológicos, como o papanicolau, ultrassom pélvico transvaginal, para avaliar o útero, ovários e endométrio. Destaque também para o autoexame de mama e, quando elas param de menstruar, exames de densitometria óssea e ultrassonografia da tireoide são requisitados.

Voltar