Composição Corporal – IMC

Composição Corporal - IMC

O aparelho de Densitometria Óssea por Dexa, além de ser utilizado para diagnosticar a Osteoporose, é considerado o melhor método para avaliação da Composição Corporal – Padrão Ouro. O exame faz um “scanner” do corpo inteiro e consegue diferenciar e calcular a quantidade de massa muscular, gordura, massa óssea e gordura visceral. A Densitometria é um método rápido, moderno e eficiente, que pode ser realizado por todos (adultos e crianças) e está disponível nas duas unidades da Cedip.

O Índice de Massa Corporal (IMC), também conhecido como Índice de Quetelet, é uma das formas mais utilizadas para verificar se o peso do adulto está de acordo com recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Criado no século XIX, por Adolphe Quetelet, o IMC auxiliou no desenvolvimento da medicina, pois proporcionou aos médicos uma maneira efetiva de estudar os pacientes de acordo com sua composição corporal.

O IMC se tornou a média padrão internacional para medir a massa corporal na década de 1980, mas sua importância só foi difundida para a população nos anos 90, quando o governo dos Estados Unidos lançou uma campanha de incentivo à alimentação saudável e à prática de exercícios físicos. Atualmente, a medida é muito utilizada em avaliações de peso e tratamentos para combater a obesidade.

Controlar o peso é muito importante para saber como está a saúde do seu organismo. O IMC permite saber se o peso está abaixo, na média ou acima do indicado pela OMS. Para obter o resultado basta dividir o peso da pessoa (em quilogramas) pela altura (em centímetros), elevada ao quadrado. Se o número for inferior a 18,5 significa que ela está abaixo do peso ideal para a estatura dela. Por outro lado, um resultado acima de 25 pontos alerta para repensar alguns hábitos alimentares. Calcule o seu IMC no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e descubra se você se encaixa na condição de baixo peso, peso ideal, sobrepeso ou obesidade.

IMC INFERIOR A 18.5 PONTOS:

Significa que a pessoa está abaixo da média de peso indicada pela OMS. O ideal a se fazer é procurar um médico para que ele possa diagnosticar o motivo. Entre os principais fatores que podem estar relacionados a perda de peso se destacam: hipertireoidismo, câncer, diabetes tipo I, hepatite C, bulimia, anorexia nervosa, desnutrição, estresse e ansiedade.

IMC DE 25 A 29.9 PONTOS:

Significa que a pessoa está com sobrepeso. Essa situação não tem efeito imediato no desenvolvimento de doenças crônicas, mas o histórico de excesso de peso pode acarretar em consequências negativas para a saúde. Procure um especialista e saiba se sua situação é decorrente de fatores genéticos, condições de vida ou problemas de saúde.

IMC DE 18.5 A 24.9 PONTOS:

Significa que a pessoa está dentro do padrão ideal de peso. Procure se manter dentro dessa faixa por meio de uma dieta saudável, bem equilibrada, e da prática regular de exercícios físicos.

IMC ACIMA DE 30 PONTOS:

Significa que a pessoa está obesa. De acordo com a Política de Alimentação e Nutrição, a obesidade é definida como o grau de armazenamento de gordura no organismo associado a riscos para a saúde, devido à ligação com várias complicações metabólicas. O excesso de peso está relacionado com o aumento da morbidade e mortalidade, e este risco aumenta progressivamente de acordo com o ganho de gordura. O ideal é marcar uma consulta com um especialista e conferir as formas de tratamento indicadas para cada caso.

O IMC é apenas um dos fatores que contribuem para traçar o perfil de risco de doenças de uma pessoa. Outros fatores, como hábitos alimentares, índice de colesterol, frequência e nível de atividade física, também devem ser analisados. Além disso, existem limitações para o IMC, ou seja, nem sempre os valores indicados a partir do cálculo correspondem à realidade de cada indivíduo. O resultado, diferente da Densitometria Óssea, pode superestimar ou subestimar a gordura corporal, pois não a diferencia da massa muscular. Por exemplo: duas pessoas podem ter o mesmo IMC, mas uma quantidade diferente de gordura corporal. Por isso, é importante sempre consultar seu médico e realizar acompanhamentos indicados.

Composição Corporal - IMC