Doenças comuns no verão: dicas e cuidados para evitá-las

Quase todo mundo já sofreu com doenças do verão (insolação, queimaduras de pele, intoxicação alimentar, otites, dengue, micose, entre outras). É claro que elas não são exclusivas dessa estação, mas são popularmente chamadas de doenças do verão por serem mais frequentes na época mais quente do ano.

Isso acontece porque, durante o verão, há uma combinação de fatores resultando em maior incidência dessas patologias. Nesse aspecto há questões climáticas e comportamentais características do verão. Por exemplo:

  • sol forte;
  • chuvas mais frequentes;
  • dias mais longos;
  • comer fora de casa;
  • tomar banho de mar e/ou piscina;
  • praticar atividades ao ar livre;
  • exposição prolongada ao sol.

Dessa forma, é preciso um cuidado redobrado para evitar adoecer e, por conta disso, prejudicar a saúde e não aproveitar devidamente o verão. Portanto, confira, a seguir, as principais doenças do verão e saiba como se prevenir delas:

Desidratação

Crianças e idosos são os mais propensos a sofrer de desidratação, mas isso não significa que as demais pessoas possam descuidar disso. Os principais sintomas são: sonolência, boca e pele seca, dores de cabeça, cansaço, sensação de lerdeza e tontura.

Para evitar a desidratação, basta manter-se hidratado. Nisso, o indicado é observar a perda de líquidos decorrentes de atividades e/ou por causa do calor. A ingestão de água deve ser corriqueira ao longo do dia.

Otite

A otite é uma infecção do ouvido. Ela é considerada uma doença do verão porque, nessa época, é mais comum que a região da orelha fique mais úmida e por mais tempo, favorecendo assim a proliferação dos fungos, bactérias e/ou vírus causadores dessa infecção.

Dor de ouvido, abafamento do som e febre são os sintomas mais comuns de otite. Para se prevenir dessa doença, recomenda-se secar sempre a orelha e evitar mergulhar em áreas que a água apresente sinais de contaminação e/ou sujeira.

Queimaduras de pele

A pele exige máximo cuidado durante o verão, principalmente se a pessoa ficar exposta ao sol. As queimaduras de pele, normalmente, só vão ser percebidas depois da exposição, podendo evoluir da vermelhidão e ardor para casos graves e, até mesmo, câncer de pele.

Evitar queimaduras e demais doenças de pele no verão requer cuidados como:

  • não ficar exposto ao sol nos horários de pico de radiação (das 10h às 16h);
  • usar filtro solar com fatores de proteção adequados ao tom de pele, e reaplicar o produto a cada duas horas;
  • usar roupas de algodão, chapéu e se abrigar na sombra sempre que possível.

Intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar pode ser causada tanto por vírus como bactérias. Em decorrência do calor, esses micro-organismos se proliferam mais rápido, por isso a manipulação de alimentos no verão deve ser feita com máximo cuidado e higiene.

Os principais sintomas de intoxicação alimentar são: dores abdominais, cólica, inchaço na barriga, vômito, febre e diarreia. A melhor maneira de evitar isso é não consumir alimentos de origem duvidosa e, sempre, armazenar a comida sob refrigeração.

Dengue, Zika e chikungunya

O verão é uma época mais chuvosa, o que facilita o acúmulo de água parada. Consequentemente, favorecendo a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas doenças. Febre alta, manchas avermelhadas na pele e dores no corpo, principalmente nos músculos e articulações, são sinais clássicos de Dengue.

Além de evitar locais que sirvam de reprodução dos mosquitos, outra forma de prevenir dessas doenças do verão é usar repelente para insetos e evitar locais de maior circulação do mosquito, como matas e beiras de rios, durante a manhã e fim de tarde.

Voltar