Insuficiência Renal

Insuficiência Renal

A insuficiência renal é quando um ou os dois rins perdem a capacidade de filtrar resíduos, sais e líquidos do sangue. Isso pode ocasionar o acúmulo de resíduos em um nível perigoso e, dessa forma, afetar a composição química do sangue, que pode ficar fora de equilíbrio.

Também conhecida como doença renal, a insuficiência é comum em pacientes que já estão no hospital com alguma outra condição, mas pode afetar qualquer pessoa. Em pacientes já hospitalizados, pode desenvolver-se rapidamente, ao longo de algumas horas, ou mais lentamente, durante alguns dias. Nesse caso, é chamada de insuficiência renal aguda.

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença renal crônica atinge 10% da população mundial. No Brasil, o número de casos dobrou: aproximadamente 13 milhões de brasileiros apresentam algum grau de problema renal, segundo o Conselho Regional de Medicina do Estado do Maranhão. Estima-se também que o problema afete 1 em cada 5 homens e 1 em cada 4 mulheres com idades entre 64 e 75 anos.

Os indivíduos mais propensos a desenvolver algum tipo de problema no rim são quem têm histórico da doença na família, assim como idosos, obesos, diabéticos ou hipertensos.

A insuficiência renal é uma doença perigosa por ser silenciosa, uma vez que o corpo só dá sinais claros e visíveis de que algo está errado quando o rim já perdeu 50% de sua capacidade.

Tipos

A disfunção renal pode ser subdividida em dois tipos, de acordo com o tempo de desenvolvimento do problema:

– Insuficiência Renal Aguda (IRA), que é caracterizada pela redução da função renal em um curto período de tempo, podendo se desenvolver em apenas poucas horas ou em alguns dias. Normalmente ocorre em pacientes já hospitalizados com outras complicações.

– Insuficiência Renal Crônica (IRC), na qual o problema se mantém em um período igual ou superior a três meses. Ocorre a perda lenta e progressiva das funções.

Causas

Em ambos os tipos de insuficiência renal as causas são: declínio fisiológico da filtração glomerular; algumas doenças como diabetes mellitus, hipertensão arterial; sinais de obstrução do trato-urinário; infecções; perda das funções regulatórias, excretórias e endócrinas do rim; pacientes que usam remédios com substâncias nefrotóxicas; e as doenças também têm relação com a idade.

Sintomas

Alguns sinais e sintomas destas complicações são:
– diminuição da produção de urina;
– retenção de líquidos, causando inchaço nas pernas, tornozelos ou pés;
– sonolência;
– falta de apetite;
– falta de ar; fadiga;
– confusão;
– náusea e vômitos;
– dor ou pressão no peito;
– em casos graves, convulsões ou coma.Em determinados casos, a insuficiência renal não causa sintomas nos estágios iniciais e é detectada por meio de exames realizados por outras razões.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo médico especialista por meio do reconhecimento de um ou mais sintomas, assim como por exames laboratoriais e exames de imagem. Entre os exames de diagnóstico de imagem, estão o ultrassom, a tomografia computadorizada e a biópsia (remoção de uma amostra de tecido de rim para o teste).

Cuidados

Os pacientes que sofrem destas complicações devem iniciar uma restrição alimentar para reduzir a acumulação de toxinas, que normalmente são eliminados pelos rins. É recomendada uma dieta rica em carboidratos, com redução do consumo de proteínas, sal e potássio. Igualmente importante é manter um estilo de vida saudável, praticando exercícios físicos regulares e largando vícios em bebida e cigarro.

Fontes: Sociedade Brasileira de Nefrologia, Instituto Pró-Rim, Conselho Regional de Medicina do Estado do Maranhão e Ministério da Saúde. 
Voltar