Lúpus

Lúpus

O Lúpus é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune (quando o corpo produz anticorpos contra si), no qual os sintomas podem surgir em diversos órgãos de forma lenta e progressiva (em meses) ou de forma mais rápida (em semanas). Ele afeta principalmente a pele, as mucosas, os rins e o sistema nervoso central.

No Brasil, estimativas apontam que cerca de 65 mil pessoas são portadoras da doença. Apesar de afetar pessoas de qualquer idade, raça e sexo, a maioria são pessoas entre 20 e 35 anos e mulheres: 1 a cada 1700 mulheres portam Lúpus. Outras pesquisas indicam que ele atinge 150 em cada 100 mil brasileiros.

TIPOS

Existem dois tipos principais:
– Cutâneo: caracterizado pelo aparecimento apenas de manchas na pele (geralmente avermelhadas), principalmente nas áreas que ficam expostas à luz solar (rosto, orelhas e braços);
– Sistêmico: um ou mais órgãos internos são acometidos.

CAUSAS

As causas são desconhecidas, mas fatores genéticos, hormonais e ambientais podem influenciar o desenvolvimento. Por exemplo: se a pessoa é geneticamente passível de desenvolver a doença, fatores ambientais como irradiação solar e infecções virais poderão levar a alterações imunológicas.

SINTOMAS

Por ser uma doença do sistema imunológico (responsável pela produção de anticorpos e organização dos mecanismos de inflamação em todos os órgãos), a pessoa pode ter diferentes tipos de sintomas em vários locais do corpo. As manifestações clínicas específicas costumam ser muito pessoais.

Os sintomas gerais incluem febre, perda de apetite e de peso, dor de cabeça, queda de cabelo, fraqueza, desânimo, ansiedade e mal-estar. Alguns sintomas podem ser mais específicos, como dor nas juntas, feridas na boca, inflamação da pleura, hipertensão e/ou problema nos rins.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito pelo médico especialista por meio do reconhecimento de um ou mais sintomas. É possível que ele também peça exames laboratoriais de sangue e urina para confirmar.

CUIDADOS

Os portadores de Lúpus precisam tomar cuidado com a alimentação (por exemplo, reduzir alimentos ricos em gorduras), fazer repouso adequado, evitar condições que provoquem estresse, ficar atento e cumprir rigorosamente as medidas de higiene (pelo risco potencial de infecções), deixar o cigarro, não consumir álcool e suspender anticoncepcionais com estrogênio.

Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia, Associação Brasileira Superando o Lúpus, Sociedade Brasileira de Nefrologia, Agência Senado e Portal Brasil
Voltar