Novembro Azul

A prevenção é fundamental para detectar doenças em estágios iniciais. Facilitando o tratamento e aumentando a probabilidade de cura e manutenção do bem-estar do indivíduo. Entretanto, a população masculina não mantém esse hábito. Visando mudar esse cenário, principalmente por conta do câncer de próstata, a campanha Novembro Azul ganha relevância.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), 68.220 novos casos de câncer de próstata surgem por ano. Desse grupo, estima-se uma taxa de mortalidade de 15.390 pacientes anualmente, segundo o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Média de 42 óbitos por dia devido a esse tipo de doença.

Esses dados fazem do câncer de próstata o segundo tipo de câncer mais comum nos homens, atrás, apenas, do câncer de pele não melanoma. Em termos de mortalidade por câncer na população masculina, a próstata aparece em segundo lugar, perdendo somente para o câncer de tranqueia, brônquios e pulmões.

Novembro Azul: espalhe essa informação

O principal objetivo do Novembro Azul é conscientizar a sociedade, principalmente o público masculino, da importância de se prevenir do câncer de próstata, por meio da realização de exames preventivos e, também da consulta periódica com urologista.

A campanha é uma iniciativa do Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) inspirado no movimento Internacional Movember — junção das palavras em inglês moustache “bigode” e november “novembro” — que tem como foco combater o câncer de próstata.

Fatores de risco do câncer de próstata:

  • Idade: ter mais de 50 anos;
  • Histórico familiar: pessoas com casos da doença na família, principalmente pais e/ou irmãos, precisam de mais cuidado. Nesse caso, a faixa etária de risco cai para 45 anos;
  • Hábitos de vida: sedentarismo, obesidade, tabagismo e alcoolismo aumentam as chances de desenvolver a doença.

Sintomas do câncer de próstata:

  • Dificuldade ao urinar;
  • Vontade de urinar frequentemente;
  • Presença de sangue na urina e/ou no sêmen;
  • Redução do jato de urina;
  • Dor nos ossos.

Diagnóstico do câncer de próstata

No Brasil, 90% dos homens diagnosticados com câncer de próstata têm mais de 55 anos. Por isso, é  importante que todos os homens que fazem parte do grupo de risco e/ou comecem a apresentar os sintomas da doença procurem um médico urologista.

Para a identificação e diagnóstico do câncer de próstata, o médico fará dois exames. O primeiro é o toque retal, que avalia o tamanho, forma e textura da próstata. O outro é o exame de Antígeno Prostático Específico (PSA) que avalia os níveis de proteína no sangue, que pode ser um indicativo da doença.

Caso o médico constate, por meio dos exames, que o paciente pode apresentar câncer de próstata, será solicitada uma biópsia. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), quando o câncer de próstata é diagnosticado de forma precoce há 90% de chances de cura.

Compartilhe esta informação e apoie o Novembro Azul!

Voltar