Polimialgia Reumática

Polimialgia Reumática

Polimialgia Reumática é uma doença inflamatória que prejudica articulações, artérias e músculos, principalmente nas regiões do pescoço, ombro e quadril. Não se sabe se é uma alteração no sistema muscular ou cardiovascular e muito menos o que causa o problema. Mas é fato que os sintomas costumam ser debilitantes, principalmente assim que a pessoa acorda.

A doença, não contagiosa, se manifesta em pessoas acima dos 50 anos. É raro que ocorra antes disso. A idade média dos pacientes costuma ser de aproximadamente 70 anos. E a prevalência é 2 vezes maior em mulheres do que em homens.

Apesar da causa ser desconhecida, é possível que tenha relação com o processo de envelhecimento, uma vez que o número de casos com idade menor que 50 anos é baixa. Ainda assim, não é possível prevenir a doença.

Sintomas de Polimialgia Reumática

Os sintomas de Polimialgia Reumática incluem fraqueza, cansaço, depressão e febre baixa. Além disso, perda de apetite e, consequentemente, de peso, dores intensas, inchaços nas articulações e rigidez matinal. Por causa deles, o paciente muitas vezes não consegue realizar atividades simples no dia a dia.

Polimialgia Reumática e Arterite de Células Gigantes

Entre os portadores de Polimialgia Reumática, cerca de 10 a 15% também sofrem com Arterite de Células Gigantes. Ela é caracterizada como uma inflamação grave nas artérias, frequentemente presente nas regiões temporais do crânio. O processo inflamatório resulta no estreitamento das artérias e, em alguns casos, no bloqueio dos vasos sanguíneos.

Com isso, o abastecimento de sangue nessas áreas fica comprometido, podendo levar a consequências graves. A relação inversa também ocorre: em torno de 40% dos casos de Arterite de Células Gigantes têm Polimialgia.

Diagnóstico de Polimialgia Reumática

Em caso de suspeita, é fundamental consultar um médico reumatologista. O diagnóstico é feito por meio de um conjunto de fatores, incluindo histórico clínico, exame físico e laboratorial. Para excluir outras possibilidades, o especialista poderá solicitar um eco-doppler, uma ecografia ou uma biópsia. Com isso, será possível começar o tratamento adequado.

Fontes: Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Portuguesa de Reumatologia e Sociedade Paranaense de Reumatologia.

Voltar