O que são linfomas e quais são seus principais sintomas?

Closeup girl with sore throat touching her neck. On gray wall background

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer, aproximadamente 4 mil pessoas vão a óbito todos os anos devido ao aparecimento de linfomas. Além disso, estima-se que a cada ano são diagnosticados 10 mil novos casos dessa doença. Mas quais são os sintomas de linfoma e como ocorre essa doença? A seguir vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

O que é linfoma?

Uma das perguntas mais comuns com relação a essa doença é se linfoma é câncer, e a resposta é positiva. Ele ocorre quando os linfócitos, que são células que têm um papel fundamental no desempenho do sistema imunológico, se tornam malignos. Ou seja, ao invés de proteger o corpo contra bactérias e vírus, esses glóbulos brancos acabam crescendo descontroladamente, prejudicando o sistema linfático. Quando isso acontece, eles se disseminam pelo sistema e também por via sanguínea. Por esse motivo, é comum que surjam linfonodos em diferentes partes do corpo ao mesmo tempo. Não existe uma causa específica para o surgimento dessa doença, já que ela pode estar relacionada tanto com fatores internos quanto externos.

Existem mais de 40 tipos de linfomas, que são divididos primeiramente em dois grupos: Linfoma de Hodgkin (LH) e Linfoma Não-Hodgkin (LNH). A principal diferença entre eles é o tamanho das células. No Linfoma de Hodgkin, elas são grandes e podem ser identificadas facilmente. Já no LNH, não existe um tipo celular específico. Nesse caso, são divididos de acordo com a agressividade e velocidade do crescimento das células. Se tiverem um crescimento lento, são chamados de indolentes e podem demorar anos para apresentar sintomas. Em compensação, se crescem rapidamente, são chamados de agressivos e o paciente necessita de tratamento urgente.

Quais são os sintomas de linfoma?

Identificar rapidamente a doença é um dos grandes diferenciais para o sucesso do tratamento. Por essa razão, é fundamental conhecer os sintomas de linfoma que podem ser percebidos pelo paciente e que são um sinal de alerta para a presença da doença. Dentre os principais, estão:

  • Aumento de gânglios (ínguas ou caroços) que geralmente aparecem nas axilas, pescoço e virilha;
  • Emagrecimento;
  • Anemia;
  • Febre durante a noite;
  • Sudorese noturna;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar;
  • Dores no abdômen ou na região torácica;
  • Fraqueza.

Vale ressaltar que a maioria desses sintomas também são comuns em casos de infecção. Justamente por essa razão, é tão importante buscar auxílio médico o quanto antes, para que o profissional possa diagnosticar a doença.

Como é feito o diagnóstico dos linfomas?

O diagnóstico de linfoma é realizado a partir de material obtido por biópsia. Com isso, é possível fazer o exame anatomopatológico, para descobrir qual é o tipo do linfoma e a extensão da doença. O ideal é que durante a biópsia seja removido um linfonodo inteiro, pois dessa forma o diagnóstico é mais preciso. Porém, se não for possível, pode ser feita a remoção de parte dele. Vale ressaltar que existem alguns outros exames que também podem ser solicitados pelo médico, tendo em vista que eles ajudam a detalhar a doença.

Quais são os tratamentos para linfoma?

Os tratamentos para linfoma dependem basicamente se a doença é LH ou LNH e de quão avançada ela está. Porém, dependendo do caso, a idade do paciente também pode influenciar na escolha do método utilizado. Mas, de qualquer forma, a quimioterapia é a intervenção mais utilizada. Quando a doença é identificada precocemente, a quimioterapia é utilizada juntamente com a radioterapia. Já, quando os linfomas estão mais avançados, a quimioterapia é realizada como tratamento isolado. Em nenhum caso a cirurgia é recomendada.

Com essas informações, você compreende o que são os linfomas e quais sintomas alertam para a existência da doença. Lembre-se de que quanto antes ela for descoberta, maiores são as chances de cura. Por essa razão, se você desconfia da presença de linfomas em seu corpo, não hesite em buscar uma opinião médica.