Quando devo procurar um alergista?


Se você tivesse alguma irritação na pele hoje, qual profissional buscaria? Provavelmente um dermatologista, certo? E, se aparecer algum problema respiratório, é provável que você marque uma consulta com um otorrinolaringologista, não é?

Porém, nem sempre essas são as ações recomendadas. Quando sintomas na pele e no trato respiratório são frequentes, a melhor opção é buscar um alergista.

Afinal, esses sinais podem ser indícios de reações alérgicas. Então, um especialista é o profissional mais indicado para tratar essas doenças.

Além de diagnosticar e buscar o melhor tratamento para alergias, o alergista também atua para sua prevenção. Dessa forma, o número de crises pode ser reduzido, garantindo o bem-estar e a qualidade de vida dos pacientes.

Quais são os tipos de alergias?

De acordo com o Ministério da Saúde, existem vários tipos de alergias. Elas podem ser divididas em quatro grupos:

Respiratória: geralmente causadas por poeira, ácaro ou pelos de animais. Têm como principais sintomas a inflamação nasal, coceira, espirro e coriza. As mais comuns são a sinusite, rinite e a própria asma (que pode ou não ser causada por fatores alérgicos).

De pele: frequentemente provocada por cremes, perfumes ou picadas de insetos. Esse tipo de alergia pode provocar lesões na pele e coceira. Dentre as mais conhecidas estão a dermatite e a urticária.

Alimentares: desencadeiam reações como diarreia, vômito, manchas na pele e até choque anafilático. São causadas por um certo tipo de alimento.

Nos olhos: coceira, vermelhidão e lacrimejamento são sintomas comuns. Se não for tratado corretamente, o problema pode prejudicar a visão do paciente. A conjuntivite é a mais conhecida dentre as alergias que afetam os olhos.

Quando devo procurar um alergista?

Existem alguns sintomas que servem de alerta para reações alérgicas. Eles devem ser levados em consideração na hora de procurar um alergista.

Dentre os principais, estão:

Coriza frequente: quando acompanhada de corrimento transparente e espirros, é um sinal fundamental para detectar alergias. Coceira e obstrução das vias nasais também são sintomas comuns.

Irritação na pele: quando aparece logo após o contato com alguma substância, como produtos de limpeza e pelos de animal.

Falta de ar: quando acompanhada de um tipo de assobio, é um sinal comum da asma. Como mencionado, a doença respiratória pode ser desencadeada por alergias.

Problemas nos olhos: atenção para irritação nos olhos, lacrimejamento, coceira e vermelhidão. Outros sintomas são a presença de olheiras e grandes bolsas embaixo dos olhos.

Como é feito o diagnóstico?

Para realizar um diagnóstico, o alergista estuda os sintomas do paciente. Também é essencial descobrir se há histórico familiar.

Além disso, o profissional precisará de informações sobre a casa e o ambiente de trabalho da pessoa. Após a entrevista com o paciente, o médico realiza um exame físico e solicita alguns testes.

Dessa forma, é possível identificar o causador da reação e definir o melhor tratamento.

Os métodos de exame mais utilizados são: o de sangue, de contato, provocação por alimentos e drogas, de função pulmonar e cutâneo.

No último, a substância suspeita de causar a alergia é colocada no antebraço da pessoa. Após 20 minutos, verifica-se se houve alguma reação.

Qual é o tratamento para alergia?

A escolha do tratamento varia conforme o tipo de alergia e o que a desencadeia. O alergista pode indicar medicamentos, terapia imunomoduladora ou até mesmo imunoterapia.

Após descobrir o agente causador, é essencial que o paciente o evite, para que novas crises não ocorram.

Finalmente, vale ressaltar que nem todas as alergias têm cura. Porém, é possível reduzir a quantidade e intensidade das crises, otimizando o bem-estar.

Por essa razão, é imprescindível contar com o profissional certo para cuidar de sua reação alérgica. Se você perceber qualquer um dos sinais, não deixe de marcar sua consulta com um alergista.

Para conferir mais materiais como este, clique aqui.

Atenção! Alguns desses exames não são realizados pela CEDIP. Confira quais exames a Cedip realiza clicando aqui.