Varizes: causas, tratamentos e prevenção

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 3 em cada 10 pessoas no mundo têm varizes. Dessas, 70% são mulheres. Além do desconforto estético, os sintomas são conhecidos por quem sofre com esse mal. Dor, sensação de queimação, coceira, cansaço nas pernas, entre outros.

A Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular explica que varizes “são veias dilatadas e tortuosas que se desenvolvem abaixo da pele”. Normalmente, as áreas do corpo mais afetas são os pés, pernas e coxas.

Isso está relacionado com a causa das varizes: a perda de elasticidade e o mau funcionamento das válvulas que regulam o retorno do sangue para o coração. Já que o sangue não consegue retornar, ele acaba acumulando nessas veias e origina as varizes.

Dependendo da etapa em que estão, as varizes podem ser classificadas como de pequeno, médio ou grande calibre. Independentemente da fase, é necessária atenção. Já que se o problema não for tratado corretamente pode evoluir para inflamações, causar hemorragias, úlceras e até mesmo trombose.

É comum também confundir as varizes com os famosos vasinhos. Esses são identificados como pequenas ramificações, que podem variar em tons de vermelho e roxo. Nesse caso, por serem veias localizadas em camadas mais superficiais da pele, o único problema é estético.

Principais sintomas de varizes:

  • Sensação de queimação nos membros inferiores;
  • câimbras frequentes;
  • veias azuladas e/ou vermelhas aparentes sob a pele;
  • inchaço nos pés, pernas e tornozelo;
  • coceira;
  • sensação de peso e/ou fadiga nas pernas;

Causa das Varizes

Como citado, as varizes são decorrentes do mau funcionamento das válvulas que fazer o retorno do sangue ao coração. Entretanto, porque isso ocorre? Há diversos fatores que podem ocasionar esse deficit no organismo.

Histórico familiar, idade (ter mais de 30 anos) e fatores hormonais são os principais. Por isso, as mulheres são as mais afetadas, principalmente aquelas que fazem uso de pílulas anticoncepcionais e/ou gestantes.

Além disso, hábitos de vida podem ocasionar problemas no sistema circulatório e, consequentemente, originar varizes. Entre eles a obesidade, o sedentarismo e o consumo de álcool e tabaco. Por último, o calor também exerce papel na dilatação das veias.

Tratamentos mais comuns para varizes:

O avanço da medicina e a modernização dos equipamentos e métodos promoveram conquistas consideráveis no tratamento de varizes. Há diversos métodos que podem ser usados, a depender do diagnóstico feito pelo médico. Vale destacar que o tratamento deve ser realizado somente por profissional capacitado.

Escleroterapia química

Normalmente, é indicado para varizes de pequeno calibre. Trata-se de injeções com substâncias esclerosante que repele o sangue parado para as veias normais e entope as veias dilatadas.

Cirurgia

Procedimento cirúrgico que, por meio de microincisões, faz a retirada das veias acometidas pelas varizes. O processo é rápido e pouco invasivo.

Laser escleroterapia

Trata-se de um tratamento similar a escleroterapia química, com a diferença que é usado laser no lugar das injeções, mas o funcionamento é similar.

Laser endovenoso

Por meio do calor produzido por um cateter de laser, as varizes são removidas e o funcionamento do sistema circulatório continua normal.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir o aparecimento das varizes é por meio da adoção de hábitos saudáveis de vida. Alimentação saudável, rica em frutas, verduras e fibras, prática rotineira de exercícios físicos, consumo abundante de água e usar roupas e calçados confortáveis são medidas que servem como prevenção.

Mesmo assim, deve-se observar os primeiros sinais da doença e o mais rapidamente possível buscar ajuda médica. Com exames de rotina e diagnóstico precoce é possível realizar tratamentos mais eficazes e menos invasivos.

Fonte:  Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, Ministério da Saúde

Voltar