Quais os principais cuidados nutricionais que a gestante deve ter durante e após a gravidez?

Já nas primeiras semanas de gestação, fazer escolhas saudáveis passa a ter impacto direto para a mãe e o bebê. Garantir os nutrientes necessários influencia no ganho de peso e na produção de leite materno.

Porém, isto não significa que a gravidez é sinônimo de alimentação restritiva. Ao longo das gerações, lendas acabam por aumentar a tensão e o estresse. Em uma dieta nutritiva, proibir não é a resposta. A chave para uma gestação tranquila é a moderação. 

Para encontrar o equilíbrio, separamos os cuidados que toda a gestante deve tomar durante e após a gravidez. Confira:

Alimentação durante a gestação: importância e cuidados

Ainda durante a gravidez, o feto começa a desenvolver hábitos alimentares. Segundo Saúde Brasil, a qualidade nutritiva que é recebida pode determinar fatores como doenças crônicas e tendência à obesidade.

Que alimentos devo comer com frequência?

Pesquisadores da Fiocruz recomendam que a alimentação gestacional seja composta de:

  • Vegetais;
  • Frutas;
  • Carne bovina, frango ou fígado (uma vez por semana);
  • Ovos e peixes;
  • Leguminosas;
  • Cereais;
  • Azeites;
  • Leite e derivados.

Qual a frequência correta entre refeições?

A gestante deve comer, preferencialmente, a cada três horas. No total, são seis refeições diárias.

Durante cada horário, recomenda-se que a grávida esteja sempre acompanhada. Os alimentos devem ser consumidos devagar e em ambiente apropriado.

Existem restrições nutricionais durante a gestação?

Como controlar o ganho de peso na gravidez?

É comum que mulheres se preocupem com o aumento de massa corporal durante a gestação. Para garantir o crescimento saudável do bebê, a grávida deve ganhar peso proporcional ao desenvolvimento fetal e ao armazenamento de nutrientes. 

Idealmente, nenhuma gestante deve perder IMC (Índice de Massa Corporal). Para garantir a saúde da mãe e do seu filho, é essencial que haja o acompanhamento nutricional no pré-natal.

Alimentação após o parto: saúde para a mãe e o bebê

Mesmo após o parto, a alimentação da mãe ainda possui impacto direto nos hábitos alimentares do bebê. Principalmente durante a amamentação, onde as escolhas nutricionais afetam o gosto do leite.

Nos dois primeiros anos de vida, recomenda-se que a criança não tenha contato com nenhum tipo de açúcar. Isto não significa que a mãe deve cortar totalmente os adoçantes da dieta, mas é indicada a restrição durante o aleitamento. 

A amamentação tende a causar sede e fome. É importante que a mulher continue exercitando os hábitos que desenvolveu na gestação. Além de impactar sua saúde física e mental, essa atitude também ensina a criança o valor dos alimentos.

O nutricionista possui papel fundamental na organização de uma rotina saudável. Mesmo com novas responsabilidades, é imprescindível que as novas mães valorizem a nutrição como fonte de bem-estar.

Quer mais dicas para viver bem em todos os momentos? Acompanhe a Cedip!

Atenção! Alguns desses exames não são realizados pela CEDIP. Confira quais exames a Cedip realiza clicando aqui.